Orientação Educacional na Educação Infantil


O papel do Orientador Educacional também é mediar as relações entre educadores, alunos e familiares, de forma integrada com a direção. O objetivo deste trabalho é promover a ação reflexiva no que se refere a questões relativas à aprendizagem, questões atitudinais, afetivas e sociais, buscando criar oportunidades para que o aluno construa paulatinamente posturas de responsabilidade e autonomia.

No decorrer da Educação Infantil, as crianças têm possibilidade de efetuar escolhas e assumir pequenas responsabilidades, favorecendo o desenvolvimento da autoestima, essencial para que se sintam confiantes e felizes. Conhecer suas características e potencialidades e perceber seus limites são fundamentais para o desenvolvimento da identidade e para a conquista da autonomia. A capacidade das crianças de terem confiança em si próprias e o fato de sentirem-se respeitadas, cuidadas e queridas oferece segurança para a formação pessoal e social.

A Educação Infantil é um excelente espaço de socialização. Nas interações sociais, se dão as ampliações dos laços afetivos (com outras crianças ou adultos), contribuindo para que a percepção do outro e a constatação das diferenças entre as pessoas sejam valorizadas e aproveitadas para o enriquecimento de si próprias.

Neste segmento, o Orientador Educacional participa das atividades na sala de aula em parceria com o professor, através do desenvolvimento dos projetos, acompanhando o planejamento de cada série, observando, intervindo se necessário e promovendo momentos de discussão em grupo. Este trabalho educativo cria condições para as crianças conhecerem, descobrirem e re-significarem sentimentos, valores, ideias, costumes e papéis sociais.

Rodas Especiais

As Rodas Especiais acontecem semanalmente nas classes de K4 e K5. São rodas de conversa que têm como objetivo a construção de atitudes morais e a transmissão de valores. As situações planejadas possibilitam momentos ricos de discussão e reflexão em sala de aula, a respeito de variados temas, visando melhorar a convivência. Através do diálogo, os alunos repensam suas atitudes e pontos de vista, reforçam suas opiniões, questionam, solucionam conflitos, enfim, percebem-se como parte importante de um grupo, com responsabilidades, direitos e deveres, a favor de um coletivo.

A Roda Especial é mais uma oportunidade na rotina escolar para formar moralmente os alunos.

Objetivos específicos:

• Abrir um espaço que favoreça o diálogo;

• Discutir assuntos relacionados ao dia a dia dos alunos;

• Promover reflexões visando a convivência;

• Proporcionar conversas sobre a dinâmica do grupo-classe ou sobre o que é de interesse da turma;

• Encontrar formas para o entendimento e para a solução de conflitos;

• Desenvolver a autonomia moral.

Conteúdos implícitos

Capacidades Morais:

• Colocar-se no lugar do outro;

• Expressar as próprias opiniões de maneira respeitosa;

• Entender quais situações são problemáticas e comprometer-se com sua melhora;

• Argumentar com lógica para defender uma posição pessoal.

Atitudes:

• Participação e interesse em tudo o que afeta o grupo;

• Colaboração entre membros da sala de aula;

• Ajuda mútua;

• Capacidade de saber perdoar;

• Reconhecimento e apreço dos membros do grupo;

• Respeito aos acordos coletivos ou a atitudes de sinceridade.

Valores:

• Solidariedade;

• Igualdade;

• Respeito às diferenças;

• Amizade;

• Confiança;

• Responsabilidade.

Considerando a educação para a formação de valores, nas Rodas Especiais faz-se um convite à cooperação, ao compromisso responsável e à aquisição da capacidade de diálogo. As rodas têm diversas funções, como informar, analisar o que acontece, tomar decisões ou organizar a vida do grupo. Aos poucos, os alunos vão adquirindo hábitos e descobrindo procedimentos que os aproximarão de uma maior autonomia.

O papel do professor

• Incentivar a participação dos alunos com atitudes de afetividade e respeito;

• Acolher a diversidade (dar lugar a diferentes posições, promover divergência de opiniões…);

• Exigir responsabilidade e envolvimento dos alunos no cumprimento dos compromissos assumidos;

• Defender quando se trata de valores como respeito, igualdade…;

• Ser parcial quando se trata de contra-valores como discriminação, violência…;

• Ser neutro quando se trata de decisões pessoais.

Ações observadas com o trabalho das rodas especiais

• Esperar a vez ;

• Saber ouvir o outro;

• Respeitar a vontade e a opinião do colega;

• Aceitar as diferenças;

• Saber ceder / saber impor;

• Resolver conflitos através do diálogo;

• Ampliar as amizades;

• Tratar os outros como gostaria de ser tratado.

 Estratégias didáticas

Durante as Rodas Especiais, utilizamos diversos recursos que propiciam um maior envolvimento dos alunos com os temas trabalhados. São eles: livros, fantoches, dramatizações, músicas, notícias, etc.