Avaliação no Ensino Fundamental II 


A avaliação escolar é um processo composto da análise do desempenho do aluno, da reflexão do professor sobre um trabalho contínuo devendo atender os critérios determinados pela legislação vigente e pela proposta pedagógica da escola.

A concepção de avaliação adotada pela escola prioriza o acompanhamento do desenvolvimento dos alunos, proporcionando situações de recuperação dos conteúdos tanto de natureza conceitual quanto procedimental. Nessa perspectiva, o processo de avaliação deve ocorrer de diferentes formas, em diferentes momentos: diagnóstica, no início de cada etapa; formativa, ao longo do processo de ensino-aprendizagem; e somativa, ao término de um período ou etapa de trabalho.

Entendemos que a comunicação aos pais e alunos, tanto do processo como dos resultados de aprendizagem alcançados pelos alunos, coroa um procedimento de avaliação que ocorre durante todo o período letivo, com a finalidade de auxiliar o estudante a identificar seus desafios e a superá-los.

Para efetivar esta concepção, os professores e os alunos organizam em uma pasta diversos instrumentos de avaliação das áreas de conhecimento, intitulada “Amostragem Avaliativa” que, em conjunto, recompõe o processo de aprendizagem vivido pelo aluno em cada disciplina. Os instrumentos de avaliação exibidos, em diferentes tempos, demonstram o desempenho escolar e desenham um mosaico multifacetado do aproveitamento diante das propostas feitas pelos professores. Os resultados finais de cada período letivo são expressos no boletim em conceitos equivalentes às seguintes menções:

A – atingiu plenamente os objetivos
B – atingiu satisfatoriamente os objetivos
C – atingiu minimamente os objetivos
D – não atingiu os objetivos
E – ausência de dados para avaliação

As menções D e E indicam a necessidade de realização de atividades de recuperação, no sentido de promover as condições necessárias para que o estudante atinja os objetivos acadêmicos propostos.

No boletim existe ainda um quadro síntese com os indicadores atitudinais, assim como o desempenho dos alunos em cada um dos objetivos na formação da postura de estudante definidos por série, quanto à pontualidade, organização dos materiais, participação durante as aulas e realização de lições de casa. No 6º ano, a ênfase está na adaptação às exigências da rotina do novo ciclo da escolaridade. O eixo de formação no 7º ano é a organização em relação ao uso dos materiais para a realização eficiente das atividades escolares. Já no 8º ano, o objetivo é a consolidação da postura de estudante com independência para lidar com os desafios escolares propostos, fundamental para a autonomia exigida no 9º ano, que possibilita ao aluno posicionar-se de maneira ética e construtiva nas diferentes situações sociais dentro e fora da escola.

Recuperação

Os Estudos de Recuperação estão organizados de acordo com o Regimento Escolar, art. 22, que diz: ao aluno com baixo rendimento escolar, isto é, com rendimento inferior à menção “C”, serão oferecidos Estudos de Recuperação, sem limite de componentes curriculares, assim estabelecidos:

I – de forma contínua, para os alunos do 6º ao 9º ano, desenvolvidos ao longo de cada Trimestre Letivo, como parte integrante do processo de ensino e aprendizagem durante as atividades escolares regulares da sala de aula da classe do aluno;
II – paralela aos 3(três) Trimestres Letivos, de forma intensiva, para os alunos das 8(oito) séries do Ensino Fundamental.

§ 1º.-Os Estudos de Recuperação Intensiva serão desenvolvidos na seguinte conformidade:
a) nas classes de 6º ao 9º ano, constituir-se-ão de atividades escolares com finalidade pedagógica e incorporação de avaliação no Trimestre Letivo, desenvolvidas em horário diverso das atividades normais da classe;
b) do 6º ao 9º ano serão desenvolvidas, após o término de cada Trimestre Letivo, para fins de incorporação da avaliação no Trimestre Letivo considerado;
c) o tempo reservado aos Estudos de Recuperação no terceiro Trimestre Letivo será considerado no cômputo da carga horária e dos dias letivos, sem dispensa de alunos, como faculta e determina a Indicação CEE nº. 05/98.

Além disso, a escola oferece aulas de Laboratórios de Estudo, realizadas após o horário regular das aulas – às 2as, 3as, 5as e 6as, das 15h50 às 16h30 e às 4as Feiras, de 13h às 14h30 – destinados aos alunos do 6º ao 9º ano. Cabe ao professor da disciplina encaminhar o aluno ao Laboratório de Estudos caso este apresente dificuldades relacionadas à aprendizagem dos conteúdos formais. São acompanhados neste processo de recuperação por um professor especialista, de acordo com a área em que apresentem necessidade. Na rotina semanal (extra-aula), há um horário garantido para cada componente curricular, tanto da Língua Portuguesa quanto da Língua Inglesa. O trabalho em pequenos grupos favorece o atendimento mais específico na resolução das dificuldades.

Neste momento da escolaridade, excluídos os casos solicitados pelo professor do componente curricular, os alunos têm autonomia para fazer a sua INSCRIÇÃO no Laboratório de Estudos, desde que percebam algum tipo de necessidade.

O trabalho de monitoria, realizado por alunos do 6º ao 9º ano, que revelam autonomia para estudar e apresentam um bom desempenho acadêmico em determinada disciplina, auxiliarão o professor da área nas aulas de Laboratório de Estudos. A proposta é que estes alunos mais experientes colaborem com os colegas que estão apresentando alguma dificuldade.

Sendo monitores, os alunos reorganizam e re-significam o seu próprio conhecimento, obtendo ganhos intelectuais, numa perspectiva social de apoio aos colegas. O serviço de monitoria não é obrigatório, mas, com o intuito de fortalecer uma atitude positiva, a escola presta reconhecimento aos alunos voluntários através de atividades de confraternização fora da escola.

§ 2º.- a incorporação do resultado avaliatório obtido nos Estudos de Recuperação, realizados ao final de cada trimestre letivo, dar-se-á da seguinte forma:

1. se a menção obtida pelo aluno nesses Estudos de Recuperação Intensiva for superior à obtida no Trimestre Letivo considerado, substituirá, singelamente à anteriormente registrada;

2. se a menção obtida pelo aluno nesses estudos de recuperação intensiva for inferior a obtida no trimestre letivo considerado, permanecerá a anteriormente registrada.

§ 3º.- Após o cumprimento das atividades escolares previstas para o terceiro trimestre letivo, inclusive dos estudos de recuperação intensiva, a escola oferecerá um exame final, a quem obteve Menção final inferior a “C”.

§ 4º.- fica limitada a 3(três) componentes curriculares a possibilidade de o aluno realizar exame final previsto no § 3º. deste artigo, na seguinte conformidade:
1. 1(um) componente curricular da Base Nacional Comum e Línguas Estrangeiras Modernas (Inglês e Espanhol).

Promoção e Retenção

Em relação à Promoção e Retenção, o regimento escolar determina, no artigo 23: será considerado promovido para a série subseqüente do Ensino Fundamental ou considerado concluinte desse curso o aluno que:
I- obtiver, ao término do ano letivo menção final “A”, “B” ou “C”, observadas as demais normas fixadas neste regimento escolar;
II- obtiver, freqüência igual ou superior a 75% do total de horas letivas de cada componente curricular na série cursada.
No artigo 24, lê-se: será considerado retido na série o aluno que deixar de atender uma ou mais exigências fixadas neste regimento escolar para fins de promoção.

Ausência nas Avaliações Trimestrais
O aluno que estiver doente e faltar em dia de avaliações poderá realizar prova substitutiva justificando sua ausência.
O aluno ou responsável deverá dirigir-se à secretaria para:
1) apresentação de atestado médico que justifique a ausência;
2) solicitação de formulário para reposição da avaliação;
3) preenchimento do formulário pelo pai ou responsável;
4) pagamento da taxa de R$ 15,00 (referente a pagamento de parte da hora-extra de trabalho do professor).

Lição de Casa

As atitudes comuns adotadas pelos professores da Stance Dual em relação à lição de casa contemplam o desenvolvimento da postura de estudante, a avaliação das aprendizagens e o processo de ensino.

Dentro dessa perspectiva, todas as atividades agendadas como lição de casa devem ser entregues dentro de um prazo estipulado pelo professor e passam pelo processo da correção – devolução – refacção.

Esta última visa ao aprimoramento e/ou aprofundamento de determinado conteúdo ou procedimento, quando necessário. Tanto os aspectos conceitual, quanto o atitudinal na realização das tarefas, fazem parte da avaliação do aluno.